20 de jun de 2016

#VergonhaAlheia - Ano IV - # 15





Eita nóis, tô de volta, meu povo! E aí, como foi o final de semana? Ah, o meu foi bem bacana, enchi a cara, cantei Evidências, esse tipo de coisa. Mas enfim, vamos começar? Sim!

Política. Rio de Janeiro decretou estado de calamidade pública. A galera do Facebook entrou, mais uma vez, em guerra civil, jogando a culpa em um, em outro, aquele auê de sempre. E no meio disso tudo, pra piorar a situação, Pedro Paulo (sabem? Aquele que agrediu a esposa? Então, esse) disse que, se for eleito, vai acabar com o Uber. Temos vídeo, produção?


Gente, mas que coisa, né? Não sei com o que eu fico mais chocado, se é com Pedro Paulo ouvindo Fifth Harmony, ou se é com isso de querer barrar o Uber...

Muito legal, né? Quer acabar com o Uber porque são cinquenta mil taxistas prejudicados por um serviço que trata bem os clientes (embora eu tenha pego umas balinhas muito sem vergonha na última vez, mas não vou fazer a maldita e reclamar), e que oferece preços bem acessíveis, segurança, essa coisa toda. Pois bem, quem sabe, não sei, só uma dica, se os taxistas parassem de atacar os carros do Uber, atacar os clientes do Uber, respeitar todo mundo, não cobrar o absurdo que cobram, enfim, quem sabe a popularidade dos taxistas não estaria melhor, não é mesmo? Mas nãããão, vamos fazer pirraça, quebrar tudo, porque o brinquedo do vizinho é mais bonito. Sabem aquela história do Tiririca, de que pior do que tá não fica? Pois é.

Vamos falar de Cotidiano. Sério, eu não sei o que tá acontecendo com as pessoas, gente, mas olha... Um advogado lá de Curitiba, pra provar uma tese em prol da defesa de seu cliente, resolveu inovar e... bem:


Mas é cada uma... Era quadro do Caldeirão do Huck? Do Programa Silvio Santos? Quem será que eram os jurados? Sim, porque o cara devia estar querendo que a galera aplaudisse insanamente pra ele ganhar pela intensidade dos aplausos, o que acabou não acontecendo, porque ficou todo mundo meio chocado com a estripulia do rapaz. Já pensou se ele erra...?

Vamos seguindo. Celebridades! Eu nunca reclamei dos meus vizinhos com som alto, gente, é sério. A casa é de frente pro meu quarto, e na época os vizinhos faziam festas regadas a churrasco, cerveja e muita música, o tempo todo, até o dia seguinte, especialmente Natal e Ano Novo, e rolava desde Frank Aguiar a Christina Aguilera, era um barato. Mas eu acho que os vizinhos da MC Ludmilla não estão muito contentes com as festas que a funkeira dá...


Gente, mas que inferno que deve ser! Felizmente, pra essa galera aí, a funkeira já se mudou, agora mora na Barra da Tijuca, ou seja, coitados dos novos vizinhos!

Voltando pra Cotidiano! Sabe aquelas pessoas que não saem muito de casa, que vivem no mundo da fantasia, achando que a vida é um grande filme, e aí quando saem um pouco acham que podem fazer igual viram na TV? Pois bem, vamos dar uma lida nesta linda historinha cearense:



HAHAHAHAHAHAHAHA gente, não é possível! Eu queria tanto que fosse uma pegadinha ou algo do tipo, mas isso é REAL! Isso prova que ele não entendeu nada do filme, né?! A areia não era qualquer areia, mas... E Portugal queria competir com isso?! Fala sério, né?!

Falando em Portugal, segura esse tchan aí, gente! Rolou (e parece que ainda está rolando) a #PrimeiraGuerraMemeal, ou seja, uma guerra de memes. Começou quando o perfil @InPortugalWe começou a usar um meme criado no Brasil. Os brasileiros, claro, não deixaram barato e começaram a contra-atacar, daquele jeitinho que só nós brasileiros sabemos, afinal, falou em meme, falou com o Brasil. E começou, meme pra lá, meme pra cá, e quem estava administrando o perfil lusitano não gostou muito e acabou levando a sério, ofendendo REAL o nosso país, com piadas misóginas, racistas e essa lixeira toda. Resultado? Perfil excluído com sucesso, porque ninguém merece gente que não sabe brincar, não é mesmo? Que coisa feia, não sabe brincar, pega a bola e vai embora, não precisa ofender ninguém.

Depois disso começou a #SegundaGuerraMemeal, e parece que já estamos na terceira, o que acabou perdendo a graça, mas vida que segue, não é mesmo?

Ficamos assim então, minha gente. Até semana que vem, e eu espero sinceramente que essa semana seja melhor e que me dê bastante assunto pra semana que vem. Um abraço, um beijo, um queijo!

AH, já ia me esquecendo! Pro anônimo que veio comentar, me xingar, e não falar nada produtivo, duas coisas: Quer brigar? Dá o nome e o rosto pra bater. E outra: Sou viadão sim, tenho um metro e noventa e três, ou seja, sou um viado bem grande, tá?

Beijo, vamo dançar!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, um espírito livre, observador do tempo, da vida e das muitas timelines da web. Sonha em ter muito dinheiro pra poder cair no mundo, aprender tudo o que puder. Acredita que jazz, blues, soul, pop, samba, pagode e erudito sejam as trilhas sonoras perfeitas para a vida que leva
FacebookTwitter


2 comentários:

Galvam disse...

Rapaz você não tem idéia de como é a insegurança pública no Ceará, principalmente em Fortaleza, olhaí uma amostra:

http://g1.globo.com/ceara/noticia/2016/05/agente-da-forca-nacional-e-assaltado-e-sofre-golpe-de-faca-em-fortaleza.html

Glauco Damasceno disse...

Tem umas notícias que parecem até mentiram, né, Galvam??? Triste realidade!

Share