13 de set de 2016

#DocPop: Gene Wilder, o Verdadeiro Willy Wonka





Gene Wilder morreu aos 83 anos, no último dia 29 de agosto de 2016, deixando órfãos milhões de fãs que durante décadas se emocionaram ao ver sua brilhante performance como o excêntrico Willy Wonka no filme A Fantástica Fábrica de Chocolate. Exímio ator, era capaz de ir do drama à comédia facilmente e em seu mais famoso personagem era possível perceber que ele usava de pequenos recursos para tal feito. Se tornou inesquecível por ter se imortalizado nas memórias de várias gerações que apreciaram seu trabalho.

Gene Wilder nasceu Jerome Silberman, em Milwaukee, Wisconsin. Começou sua carreira nos palcos até aparecer na TV e, posteriormente, no cinema, nos anos 60. Não demorou muito para surgir em filmes importantes como Bonnie e Clyde - Uma Rajada de Balas e Primavera para Hitler, ambos de 1967. Neste último, recebeu sua primeira indicação ao Oscar como Melhor Ator Coadjuvante. Porém, foi com A Fantástica Fábrica de Chocolate que alcançou o estrelato, sendo nomeado ao Globo de Ouro. O filme, reprisado várias vezes na Sessão da Tarde, emociona as mais diversas gerações até hoje. O primeiro Willy Wonka possuía uma humanidade que Johnny Deep, por melhor que tentasse, não conseguiu alcançar no remake do longa. 

Logo depois vieram Tudo o Que Você Sempre Quis Saber Sobre Sexo E Tinha Medo de Perguntar, de Woody Allen, Banzé no OesteO Jovem Frankenstein, estes dirigido pelo amigo Mel Brooks. Neste último, chegou a ser indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Por O Expresso de Chicago recebeu mais uma indicação ao Globo de Ouro. Também dirigiu cinco filmes, entre eles O Irmão Mais Esperto de Sherlock Holmes, O Maior Amante do Mundo e A Dama de Vermelho. Outro parceiro constante foi o comediante Richard Pryor e, juntos, fizeram O Expresso de Chicago, Loucos de Dar Nó e Cegos, Surdos e Loucos.


Jim Carrey lamentou a morte do ator no Twitter:
"Gene Wilder era uma das mais engraçadas e doces energias a tomar forma humana. Se há um paraíso, ele tem um tíquete dourado". 
Mel Brooks também usou a mesma rede para expressar seu carinho para o amigo:
"Um dos verdadeiros grandes talentos dos nossos tempos. Ele abençoou cada filme que fizemos com sua mágica e me abençoou com sua amizade". 
Peter Ostrum, o garoto Charlie de A Fantástica Fábrica de Chocolate disse que ele o apresentou o caminho dos doces e que foi como se tivesse "perdido um pai". 

Há três anos Gene Wilder foi diagnosticado com o mal de Alzheimer e pediu que isto não fosse divulgado porque, segundo ele, "não conseguia aguentar a ideia de um sorriso a menos no mundo".

Faleceu em sua casa em Stamford, Connecticut, nos EUA, rodeado de seus familiares e ao som de Somewhere Over The Rainbow.

Leia Também:
Serginho Tavares  
Serginho Tavares, apreciador de cinema, para ele um lugar mágico e sagrado, de TV e literatura. Adora escrever. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência e com os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


1 comentários:

Paulo Adriano Rocha disse...

Cara, uma belíssima homenagem! Só senti falta da Raposa de O Pequeno Príncipe, que é o seu papel mais inesquecível pra mim.
Parabéns!

Share