21 de nov de 2016

#Literatura: O Orfanato da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs





Você já deve saber, porque eu já disse inúmeras vezes (mas se você não é um frequentador habitual do Pop de Botequim, eu repito), que eu adoro séries literárias. Gosto da possibilidade de ir conhecendo os personagens pouco a pouco, acompanhando seu desenvolvimento, vivendo suas aventuras. Se essas séries forem adolescentes então, eu esqueço meus mais de 30 anos e embarco sem pudor algum, lendo os livros de maneira feliz e dedicada. Foi assim com Harry Potter, com Percy Jackson, com Jogos Vorazes. E, pelo visto, será assim com as Crianças Peculiares.

Apesar de lançado a um bom tempo, decidi ler O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares (que nome grande!) apenas por causa do filme de Tim Burton. Não, eu não vi o filme (e tenho achado os filmes do diretor cada vez mais chatinhos, será que cresci demais para a obra lisérgica e colorida de Tim Burton?), mas planejo vê-lo em algum momento; mas, como gosto de ler os livros que inspiram os filmes antes de apreciar a obra audiovisual, fui desbravar o sucesso literário de Ransom Riggs e fiz isso sem nenhum referencial sobre a história, apenas seu título. E como foi legal fazer isso.

Mas, se você está lendo esse texto, aviso que irei dar alguns detalhes da trama para comentá-la. Combinado? Combinado e vamos nessa. A história acompanha o jovem protagonista Jacob, que sempre teve uma relação bastante próxima com seu avô Abe, aquele tipo de pessoa considerada excêntrica, cheio de história absurdas. Até que Abe morre e, em uma tentativa de conhecer mais o avô, Jacob acaba se dando conta de que todas as histórias que sempre ouviu desde de pequeno eram reais e que o famoso orfanato cheio de crianças peculiares onde o avô esteve como criança ainda existe, continuando a ser administrado pela Srta Peregrine, responsável pelo cuidado de jovens que possuem poderes e peculiaridades. Ufa, estou ficando bom nas frases longas sem ponto final. Enfim, o livro trata-se de quase um X-Men formando por crianças e adolescentes.

E Ransom Riggs, sem pressa, nos envolve em sua história, primeiro apresentando Jacob e seu avô, até nos levar para a ilha onde o orfanato da Srta Peregrine está localizado. Lá é que descobrimos qual o verdadeiro fio narrativo da história, que conta uma trama ancestral e que será, claro, explorado nos demais volumes da saga literária.

Com uma escrita fluida e de fácil assimilação, O Orfanato da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares é aquele tipo de obra que você vai devorando, encantado com o universo que ele nos apresenta. Mérito de Ransom Riggs, que faz de sua história bobinha algo bastante atraente para públicos de todas as idades.

Não preciso nem dizer, né? É óbvio que continuarei acompanhando as aventuras de Jacob e de seus amigos peculiares, enquanto tentam entender o seu lugar no mundo.

O Orfanato da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares
Autor: Ransom Riggs
Páginas: 336
Editora:Leya

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share