13 de fev de 2017

#Música: Grammy 2017 - Considerações





Adele deixou Beyoncé comendo poeira na cerimônia do Grammy de ontem à noite. A inglesa venceu todos os prêmios a que foi indicada, incluindo os mais importantes da noite (a saber: Música, Gravação e Álbum do Ano). Ao receber um deles, rasgou intensos elogios a esposa de Jay Z e por fim quebrou o troféu para dividir com ela deixando a colega com os olhos marejados.

A premiação do Grammy aconteceu no Staples Center, em Los Angeles e o mestre de cerimônias da vez foi o carismático James Corden (LL Cool J. passou da hora depois de cinco anos). O moço divertiu a plateia e ainda parodiou seu próprio show, Carpool Karaoke, chamando vários artistas para cantar numa réplica de papel de um carro, até a filha da Beyoncé se juntou ao grupo. Para quem não conhece o programa do moço, ele leva artistas para cantar enquanto dirige pela cidade.

Outro momento divertido foi quando os rapazes do Twenty One Pilots, ao receberem o prêmio pela Melhor Performance de Dupla ou Grupo Pop por Stressed Out, tiraram as calças porque haviam feito uma promessa que, se um dia ganhassem o Grammy, ficariam de cuecas. Promessa cumprida, diversão garantida.


Mas como é uma premiação de música, os pontos altos da festa são mesmo as apresentações musicais. Adele foi a primeira a cantar seu hit Hello; Beyoncé, lacradora como sempre, fez um medley introspectivo/denso/dramático; Katy Perry lançou seu single Chained to the Rhythm e provou mais uma vez que a música pop é seu habitat; The Weekend se apresentou com o Daft Punk; Ed Sheeran, sozinho; e Bruno Mars fez a Adele e subiu no palco duas vezes, sendo a segunda para uma linda homenagem ao  cantor Prince, falecido ano passado.

Uma das apresentações mais aguardadas da noite era a de Lady Gaga com o Metallica. Infelizmente, o microfone de James Hetfield não funcionou em pelo menos metade da música, deixando o músico muito irritado. Mesmo assim, Gaga mostrou que se é pra tombar, ela tomba mesmo. Sua performance visceral deixou muita roqueira de queixo no chão ao cantar Moth to the Flame, que faz parte do disco mais recente do grupo. João Marcello Bôscoli, comentarista da cerimônia, ficou se perguntando: o que ela não faz?. Sinceramente eu não sei. Rainha, né, mores?

Outro momento insólito aconteceu na pré cerimônia da festa quando o Megadeth foi anunciado como vencedor pelo prêmio de melhor performance metal por Dystopia e, ao invés de tocarem sua música, puseram Master of Muppets, do Metallica, entretanto, a banda pareceu não se importar com isso.

Adele também não teve lá um bom momento quando subiu o palco para cantar Fast Love, em homenagem a George Michael. Na sua segunda apresentação ela pediu pra repetir. "Sinto muito por começar de novo. Podemos começar de novo? Desculpe, não posso f..." No fim, acabou sendo muito aplaudida pela plateia presente.

Claro que também houve espaço para criticar o presidente americano. Busta Rhymes disse durante show ao lado de Tribe Called Quest e Anderson .Paak. :
"Eu quero agradecer ao presidente 'agente laranja' por perpetuar o mal que ele tem feito pelos EUA. Eu quero agradecer ao presidente agente laranja por sua tentativa frustrada de banir os muçulmanos. Agora vamos nos unir."
Entre os vencedores foi feito justiça e premiaram o último trabalho de David Bowie. Com certeza um prêmio mais do que merecido. E se desejam saber quais foram todos os vencedores, clica aqui ó.

Beijos e que venha o Oscar.

Leia Também:
Serginho Tavares  
Serginho Tavares, apreciador de cinema, para ele um lugar mágico e sagrado, de TV e literatura. Adora escrever. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência e com os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share